Sexta-feira, 24 de Abril de 2009

Arte e prazer

 Gordon Graham

 

A visão comum de que a arte se encontra no prazer que dela obtemos foi considerada deficiente em vários aspectos. Primeiro, não é claro que o que é em geral visto como o melhor na arte seja, excepto para aqueles "laboriosamente preparados para o desfrutar", uma verdadeira fonte de diversão. Segundo, se o valor da arte é o prazer, isso faz com que seja quase impossível explicar as várias discriminações que são estabelecidas entre, e no interior de várias obras e formas de arte. Terceiro, é difícil ver como é que a teoria do prazer poderia sustentar os tipos de distinções avaliativas feitas entre arte e não-arte nas instituições culturais e educacionais da nossa sociedade. Podemos tentar remendar a teoria do prazer falando de prazeres mais elevados, ou distintamente estéticos. Mas, na verdade, nenhuma dessas distinções parece ser sustentável. Mesmo se substituirmos o prazer estético por uma concepção kantiana de beleza, somos conduzidos na direcção errada, nomeadamente em direcção ao estado mental do público e, assim, parece que perdemos qualquer possibilidade de explicar o valor peculiar das obras de arte em si mesmas. Deve notar-se que nada na argumentação contra a teoria do prazer sugere que a arte não possa entreter ou que as pessoas nunca possam ser entretidas por ela, nem que algumas coisas comummente vistas como obras de arte não sejam valorizadas principalmente por causa do prazer que proporcionam. E a argumentação também não nega que quadros ou peças musicais sejam belos e sejam em parte valorizados por isso. Tudo o que a argumentação mostrou, até ao momento, é que se o principal valor da arte residisse no prazer que deve ser derivado dela, ou em ser uma ocasião para juízos de beleza, a arte não poderia receber a alta estima que normalmente lhe atribuímos.

Gordon Graham, Tradução de Carlos Leonel, Filosofia das Artes: Introdução à Estética, Edições 70, Lisboa, 2001, pp. 39-40

publicado por Luís M. M. Duarte às 12:52
link do post | comentar | favorito
|

Luís M. M. Duarte (Coordenação)

pesquisar

 

Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

posts recentes

Os "Sexalescentes" do Séc...

O fenómeno atual multimod...

A REDEFINIÇÃO (DA NOÇÃO) ...

V Comemoração do Dia Mund...

V Comemoração do Dia Mund...

O que é a Filosofia? - Um...

IV Comemoração do Dia Mun...

Comemoração do 25 de Abri...

Os Valores

II, A Racionalidade práti...

arquivos

Abril 2017

Maio 2015

Abril 2012

Novembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

links

blogs SAPO

subscrever feeds